Em momentos de crise e turbulência no mercado, ou mesmo quando a economia apresenta um quadro estável, planejar é sempre importante.
Algumas variáveis servem de alerta para gerar uma reflexão sobre os caminhos a serem adotados:
  • Há ausência de foco ou deficiência na oferta de produtos ou serviços?
  • Há uma visão distorcida do mercado de atuação?
  • Há pouco conhecimento sobre a concorrência?
  • Há ausência de uma estratégia comercial e de marketing?
Além dessas questões, ainda residem outras preocupações de como sobreviver com os negócios no Brasil diante de dificuldades da seguinte natureza:
  • Alto custo do capital
  • Insuficiências de infraestrutura e de logística (energia, transportes, etc.)
  • Baixo nível de educação e capacitação da força de trabalho
  • Elevada carga tributária
  • Alta burocracia (órgãos, entidades, associações, etc.)
  • Lentidão dos poderes públicos e do judiciário
  • Oscilações inflacionárias (repasse de preços, composição de custose posicionamento frente a concorrência)
  • Riscos de mudanças cambiais (exportação, importação)
  • Contaminação da economia pelos solavancos políticos (ações em bolsa, queda de consumo, retração da economia, etc.)
  • Abertura de mercado à concorrência estrangeira, dentre outras
Sendo assim, vários são os desafios a serem enfrentados pelas empresas e os principais objetivos esperados são:
  • Manter o crescimento sustentável dos negócios e melhorar a  rentabilidade
  • Financiar o crescimento e otimizar a estrutura e o custo de capital
  • Promover as capacitações necessárias para enfrentar a concorrência
  • Identificar novas oportunidades de atuação no mercado
  • Incentivar a inovação e estratégias de competição